Projeto Ponte recebe apoio do FUMCAD

Projeto Ponte recebe apoio do FUMCAD

Foto: José Vitor Malheiro

A Pestalozzi de Osasco participou do Edital de Chamamento Público 001/2017 do Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente – CMDCA Osasco e o Projeto Ponte foi aprovado para receber recursos do Fundo Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente – FUMCAD Osasco.

Em 04 de dezembro de 2018, por meio do Termo de Fomento 014/2018, foi estabelecida uma parceria entre a Pestalozzi de Osasco e a Prefeitura Municipal para executar o Projeto Ponte. A primeira parcela do recurso financeiro foi repassada somente no dia 15 de fevereiro e, a partir dessa data, a Pestalozzi iniciou a divulgação e a execução do Projeto.

O Projeto Ponte deverá beneficiar 32 adolescentes, com deficiência intelectual e/ou com dificuldade de aprendizagem, de 16 a 21 anos de idade, residentes na cidade de Osasco.

No prazo de 1 ano, a Pestalozzi de Osasco espera que os atendidos pelo Projeto Ponte passem a ser protagonistas do seu processo de inclusão no mundo do trabalho, ampliem o seu nível de conhecimento e desenvolvam as competências necessárias para viver a vida adulta com maior autonomia e para assumir sua condição de cidadã junto à sua família e à sociedade.

A Pestalozzi espera, também, que suas famílias demonstrem um maior envolvimento na construção do seu projeto de vida adulta e espera promover maior articulação entre os atores do Sistema de Garantia de Direitos do município.

Aprendizes da Pestalozzi de Osasco têm 100% de aprovação

Aprendizes da Pestalozzi de Osasco têm 100% de aprovação

Foto: José Vitor Malheiro

Em 2018, a Pestalozzi de Osasco estabeleceu parceria com a CR e a Generalle, ambas as empresas do ramo de Confecção de Roupas, para oferecer aprendizagem profissional para 8 jovens, com deficiência intelectual, usuários dos serviços da instituição.

Em janeiro de 2019, dos 8 aprendizes que ingressaram no Programa de Aprendizagem, 100% concluiu o Curso de Operador de Processos Logísticos de Mercadorias.

Além disso, dos 8 jovens que concluíram o curso de aprendizagem, 6 foram contratados pelas empresas parceiras, após o término do contrato de aprendizagem.

Esses números representam um resultado alcançado pela Pestalozzi de Osasco de 75% de êxito no processo de inclusão de pessoas com deficiência intelectual no mercado de trabalho.

Por isso, podemos afirmar que, quando as pessoas com deficiência intelectual recebem os apoios adequados e quando as empresas lhes oferecem a oportunidade de um primeiro emprego, elas conseguem demonstrar, claramente, a sua capacidade de trabalho e confirmam que a inclusão depende de todos nós.